Desvendando a gestão comportamental

Vivenciamos uma nova realidade em que o RH deixou de ser coadjuvante e passou a ser um dos pontos mais estratégicos dos negócios, há um entendimento e reconhecimento de que as empresas, por mais tecnológicas que possam ser, são formadas por pessoas.

Ainda assim há um “fantasma” que nos rodeia, afinal o ser é por si só subjetivo e o negócio necessita de tomadas de decisão assertivas e baseadas em fatos e dados. Então como fazer uma gestão que respeite o indivíduo, promova seu desenvolvimento, ao mesmo tempo em que atende as premissas organizacionais? Já ouviu falar em gestão comportamental? Desenvolvida a partir de estudos sobre o indivíduo e suas tendências comportamentais, a gestão comportamental ambos os mundos e traz transformação para o seu RH.

Mas como utilizar o mapeamento comportamental?

UM POUCO DE HISTÓRIA

Desde a Grécia antiga, tendências do comportamento humano são observadas, já naquela época as formas de ser eram associadas aos elementos da natureza, terra, água, fogo e ar. Hipócrates – o pai da medicina – traz estudos que vinculam a mesma percepção só que agora temos nossas características temporais vinculadas aos fluídos corporais sangue, bile branca e negra e fleuma (ITO e GUZZO, 2002). O estudioso propõe que os sanguíneos seriam aqueles caracterizados como sendo atléticos e enérgicos, os coléricos sendo aqueles que se irritam com facilidade pertencentes ao grupo em que se predomina a bile amarela, os indivíduos melancólicos e entristecidos sendo os regidos pela bile negra e os fleumáticos sendo aqueles cansados, lentos, reflexivos (ITO e GUZZO, 2002).

A grande virada vem com os estudos de Carl Gustav Jung e Alfred Adler, que aprofundam os métodos de observação e levantam tendencias comportamentais condicionadas também por critérios externos, como o convívio social e família. Todas essas obras corroboraram para que Willian Moulton Marton, desenvolvesse suas pesquisas e apontasse que o perfil comportamental de cada indivíduo é estruturado pela compilação de quatro fatores: a dominância, a influência, a estabilidade e a conformidade, criando aquele que seria o alicerce para a criação dos testes comportamentais, a metodologia DISC (RESMINI, 2015).

Na atualidade testes comportamentais são os queridinhos dos profissionais de RH, certamente pela sua extensa possibilidade de aplicação e sua assertividade. Mas onde aplicar e como utiliza-los de forma correta em nossas estratégias e gestão? Falaremos a seguir de três pontos onde o mapeamento comportamental pode ser aplicado e um pouco de algumas de suas vantagens estratégicas.

O MAPEAMENTO COMPORTAMENTAL NO RECRUTAMENTO E SELEÇÃO

O mapeamento comportamental nos dá a oportunidade de transformar comportamento em dados e conhecer o candidato, suas necessidades em relação a ambiente, estilo de liderança, relacionamentos, comunicação, suas tendências comportamentais em situações de conflito, pressão e mudanças. Tudo alinhado as exigências do negócio, como cultura e diversidade de soft skills para composição das equipes, munindo o RH e gestores de dados para balizar o processo decisório. Mas a jornada não termina aqui, como mencionamos o mapeamento de perfil é “uma carta na manga” para o seu RH.

O MAPEAMENTO COMPORTAMENTAL NO DESENVOLVIMENTO

Para além da já convencional avaliação de desempenho, se faz cada vez mais necessário trazer novas ferramentas que nos munam de dados e informações para que consigamos direcionar os nossos colaboradores para uma melhor entrega, ao mesmo tempo em que promovemos um ambiente de desenvolvimento profissional e pessoal.

Imagina conseguir através de um único mecanismo respostas como o perfil dos colaborares de alta performance, quais suas habilidades, como essas habilidades estão distribuídas dentro do grupo, a melhor forma da liderança dar feedbacks e orientações individuais e coletivamente, entender as competências que podem ser aprimoradas e aquelas que precisam ser desenvolvidas, onde o funcionário está e onde ele deseja e pode chegar, quais pessoas do time tem perfil de liderança, quais as competências da nossa liderança?

Alguns testes comportamentais trazem essas e outras respostas que nos auxiliam na estruturação das nossas estratégias. Com dados na mesa torna-se possível além de mensurar o desempenho, ter uma interlocução mais clara com gestores e assim desenhar planos de desenvolvimento individual (PDI), programas de treinamento, ações de engajamento e até de redução do turnover.

MAPEAMENTO COMPORTAMENTAL NA GESTÃO DA EQUIPE

Aqui falamos do dia a dia, entender que profissionais de um mesmo time tem necessidades, capacidades, competências e limitações distintas, auxilia a liderança a tomar decisões mais direcionadas e personalizadas. Saímos do campo da subjetividade e utilizamos dados para que gestor e colaborador entendam o que é esperado por ambos e demandado pela empresa.

Passamos a sermos preditivos, entendemos melhor como agir em situações de conflito pois entendemos que há diferenças e necessidades distintas dentro de um mesmo grupo. O momento do feedback, por exemplo, deixa de ser uma dor e passa a ser uma oportunidade de engajamento e desenvolvimento, uma vez que, é possível estruturar a fala, os pontos que serão tratados respeitando o indivíduo em suas particularidades de interlocução, sua visão de liderança, interação com o meio, reação a críticas e também a elogios. Tudo conectado direta ou indiretamente a manutenção do clima organizacional, a estratégia de retenção e trabalho de desenvolvimento da liderança.

Como vimos até aqui, o mapeamento comportamental auxilia você a transformar seu RH, tirando-o do campo da subjetividade e trazendo-o para o campo da estratégia do negócio, tornando você mais preditivo, assertivo e preparado para os momentos de definição de estratégias e tomada de decisão.

Aqui na Rosso Consultoria utilizamos testes comportamentais baseados na metodologia DISC para nos ajudar nos processos de Recrutamento e Seleção e também no Mapeamento de Equipe. Conseguimos por meio destes mapear mais de 50 fatores que nos trazem uma sólida base de informações para que possamos realizar uma gestão preditiva com base em padrões comportamentais.

Quer saber mais sobre Como os testes comportamentais podem ajudar você e a sua empresa na gestão estratégica de pessoas? Então vem com a gente! Clique aqui e fale conosco, nosso Time de Consultores irá te auxiliar.

Compartilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

×